Neurociência

Promovemos a investigação em diversas doenças neurodegenerativas, incluindo a doença de Alzheimer, esclerose múltipla e doença de Parkinson.

O nosso Centro de Base de Neurociência

Em 2016, inaugurámos o Centro de Base de Neurociência em Cambridge, Massachusetts (EUA). Nesse centro, realizamos investigações para compreender mais aprofundadamente os mecanismos biológicos subjacentes às doenças neurodegenerativas. O nosso objetivo é identificar novas abordagens terapêuticas para proporcionar alívio aos doentes que vivem com estas doenças crónicas debilitantes.  

Alzheimer

A doença de Alzheimer representa um desafio crescente para a sociedade devido ao aumento do número de doentes e cuidadores que procuram a ajuda do sistema de saúde. Os tratamentos atuais abordam somente os sintomas e, portanto, não evitam a progressão da doença e não revertem o dano. Estamos a colaborar com outros importantes investigadores da doença de Alzheimer para identificar formas de interromper a doença nos seus estados iniciais. O nosso anticorpo “anti-tau”  está a ser investigado para o tratamento da doença de Alzheimer e também da paralisia supranuclear progressiva (PSP), caminhando já para o desenvolvimento da fase 2.

Descobrimos que a proteína “tau” pode ser o verdadeiro problema na batalha contra a doença de Alzheimer. Estamos determinados em detê-la.

Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla é um distúrbio crónico degenerativo e progressivo do sistema nervoso, que é observado com mais frequência em pessoas entre os 20 e os 40 anos de idade. Nesta condição clínica, o sistema imunológico ataca uma proteína denominada mielina, que forma uma camada protetora em redor das fibras nervosas. Quando a mielina é danificada pela doença, os neurónios não conseguem transmitir o impulso nervoso adequadamente, levando a uma perda neuronal, atrofia que provoca uma incapacidade significativa com o decorrer do tempo. Temos o compromisso de responder às necessidades dos doentes com esclerose múltipla e estamos a dar apoio a diversas opções de tratamento que promovam a proteção dos nervos e facilitem a regeneração dos neurónios.  

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é o segundo distúrbio neurodegenerativo mais comum, que afeta mais de 10 milhões de pessoas em todo o mundo. Estamos empenhados em explorar novos métodos de tratamento para esta doença degenerativa e progressiva.